quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Pintura Naïf em exposição no Casino Estoril




A Pintura Naïf está na moda


Encontra-se patente ao público até 12 de Setembro na Galeria de Arte do Casino Estoril, como há 29 anos já acontece no mês de Agosto, a exposição de Pintura Naïf, que reúne 45 autores, na sua maioria portugueses e espanhóis, com um total de 100 trabalhos. ~

Na edição deste ano, meretíssimo júri distinguiu com o Primeiro Prémio (Prémio Câmara Municipal de Guimarães) a pintora Fernanda Mourão, que só aos 50 anos se iniciou na pintura e com o Prémio Câmara Municipal de Cascais, destinado a galardoar o melhor trabalho temático sobre a Costa do Estoril, a pintora espanhola Amália de Córdoba, autora de um trabalho sobre a Baia de Cascais, ainda com o Hotel Estoril Sol no seu lugar...
Foram distinguidos com menções honrosas os seguintes autores: Ana Maria de Abadal, Arce, Augusto Cajamarca, Conceição Lopes, Gracia Risueño, J. B. Durão, José Maria, Luísa Caetano, Maria Vilaça, Menchu, Natividade Ferrão, Ramos Santos e Yiyo, como também as duas revelações deste ano, Cecília Ferreira, que é professora de Matemática da Universidade de Lisboa e Arménio Ferreira, reformado da TAP, onde era preparador de planos de voo e que apenas começou a pintar quando se reformou.

Na inauguração estiveram presentes o Presidente da Câmara Municipal de Cascais, Dr. António Capucho e sua mulher e a Vereadora da Cultura, Dra. Ana Clara Justino, Dr. Licínio Cunha, Dra. Lucília Passeiro, os jornalistas Martha de la Cal, Mário e Hathalin Dijusin, Prof. José D’Encarnação e três dezenas dos artistas participantes.
O director da Galeria declarou ser bem visível o apreço em que hoje já é tida no nosso País a Arte Naïf, para o que muito tem contribuido, o trabalho realizado pela Galeria de Arte do Casino Estoril.
Referiu ser provável que para o ano seja inaugurado o Museu de Pintura Naïf do Estoril, recordando que a pintura naïf hoje está na moda em muitos paises, sobretudo da Europa, como reacção contra a quantidade de abortos a que muita gente pretende atribuir o estatuto artístico.
Recordou que Picasso foi o primeiro grande apoiante da corrente naïf, quando através do seu quadro “Batteau Savoir” pretendeu homenagear o fundador da corrente naïf, o “aduaneiro” Rousseau, lembrando também os nomes de alguns pintores portugueses que têm apreciado essa corrente pictórica como Francisco Relógio, Manuel Cargaleiro, Carlos Botelho, Thomas de Mello/Tom, Artur Bual e Sara Afonso.

1 comentário:

Carlos Herglotz disse...

Parabéns pela Exposição.

Que a abertura do Museu de Pintura Naïf do Estoril tenha muito sucesso para o próximo ano.

Aqui no Brasil perdemos um dos maiores Museus de Arte Naïf no Rio de Janeiro, MIAN, por questões políticas.
Sou artista naïf e tenho visitado várias galerias e museus e assim mantendo contacto.
Meu blog é:
http:/carlosherglotz.blogspot.com

Abraços